sábado, 28 de agosto de 2010

CONTEXTUALIZAÇÃO

O ser humano, tal como o conhecemos hoje, é o resultado de milhões de anos de evolução e de adaptação ao meio. Os primeiros seres humanos desenvolveram características que os tornaram diferentes e superiores aos outros animais.

Começaram por se alimentar daquilo que a Natureza lhes oferecia, caçando, pescando e recolhendo frutos,ovos e raízes.
Aprenderam a fabricar instrumentos, dominaram o fogo e desenvolveram a linguagem.

Paleolítico: Idade da Pedra lascada

Há cerca de 10.000 anos os seres humanos começaram a produzir os seus alimentos através da agricultura e da pecuária.
Desenvolveram novas técnicas e novos instrumentos, construíram casas e formaram aldeias.

Neolítico: Idade da Pedra polida.

AVENTURA HUMANA

A AVENTURA HUMANA COMEÇA... 

A Origem do Planeta Terra



A Origem do Homem



A EVOLUÇÃO HUMANA






Homo habilis é uma espécie de hominídeo que viveu no princípio do Plistocénico 
Os primeiros fósseis de H. habilis foram descobertos na Suazilândia em 1964 por Louis Leakey e seus colegas. 
Esta espécie é, das pertencentes ao género Homo, a que menos se parece com o H. sapiens, com braços proporcionalmente muito mais longos, cavidade craniana menor e morfologia geral similar aos Australopithecus. 
O H. habilis foi o primeiro a construir e utilizar ferramentas de pedra lascada, o que lhe valeu o nome específico: habilis, o habilidoso . 
Suas ferramentas eram feitas de ossos, madeira, e principalmente a pedra (lascada).
O Paleolítico
Durante todo o período Paleolítico, a humanidade evoluiu muito lentamente. 
Foram alguns milhões de anos em que os objectos fabricados eram ainda muito rudimentares e o modo de vida do Homem muito dependente do meio natural.
 A Economia Recoletora
 Os primeiros hominídeos desenvolveram um modo de vida que tinha a recoleção e a caça como atividades principais. 
No início, a caça limitava-se a pequenos animais, fosse pelos instrumentos rudimentares que usavam fosse pelas dificuldades de comunicação e unidade do grupo. 
A partir do Homo sapiens, a caça passou a ser a principal atividade. 
Realizavam-se grandes caçadas a animais de grande porte como elefantes, rinocerontes, bois, bisontes, cavalos e outros. 
Para isso foram utilizadas diversas armas feitas de pedra, madeira e osso, como flecha, a zagaia, o dardo ou armadilhas engendradas para o efeito. 
Esta economia, em que nada se produz mas apenas se recolhe e consome chama-se economia recoletora.
 A Habitação
No Paleolítico, os Homens eram nómadas, isto é, mudavam frequentemente de lugar em consequência da economia recoletora, já que a sobrevivência do Homem dependia da existência de caça. 
Utilizavam diversos tipos de moradia como cavernas, tendas feitas de pele de animais e cabanas feitas de galhos e folhas de árvores.
 Os instrumentos
Os primeiros instrumentos eram pequenos seixos de pedra quebrados de forma a ficarem com uma face com arestas cortantes. 
Este tipo de instrumentos, chamados seixos lascados e bifaces, eram utensílios que, apesar de simples, exigiam uma técnica cuja aprendizagem e evolução levou milénios. Outro passo importante no fabrico de instrumentos foi quando o Homem passou a aproveitar as lascas que eram libertas da pedra que servia de núcleo central no momento em que era batida. 
Estas lascas ganharam uma importância muito grande para o Homem do Paleolítico já que eram aproveitadas para o fabrico de inúmeros pequenos utensílios como raspadores, pontas de seta, lâminas e buris. 
Para além da pedra eram também trabalhados a madeira e o osso, o chifre e o marfim.
 O Fogo
O domínio do fogo alterou a vida do homem primitivo pois veio permitir-lhe: 
- Aperfeiçoar os instrumentos utilizados na caça e na pesca; 
- Cozinhar os alimentos, até aí comidos crus;
 - Defender-se melhor dos animais que o cercavam ou empurrá-los para os locais pretendidos; 
- Iluminar as cavernas, de que ocasionalmente se servia, através da utilização da gordura dos animais que abatia
 O Vestuário:
 As roupas eram feitas de pele de animais, as mulheres limpavam e curtiam essas peles até deixá-las bem macias. 
Usavam agulha de osso e fios de costura eram tendões, tripas secas ou tirinhas de couro.
 A arte/religião
 Pinturas rupestres são pinturas e desenhos registrados no interior de cavernas, abrigos rochosos e, mesmo ao ar livre. 
São artes do período paleolítico, também chamado de arte parietal e existe no mundo todo, apesar de ser mais abundante na Europa, sobretudo na França (Lascaux) e Espanha (Altamira) 
As pinturas eram executadas a dedo, com um pincel de pelo ou pena e eram utilizados materiais corantes minerais nas cores ocre-amarelo, ocre-vermelho e negro. 
Alem das pinturas rupestres a arte paleolítica também fazia esculturas em osso, pedra e argila, ou seja, uma arte móvel.. 
Essas esculturas representavam as “Vênus” primitivas, eram figuras femininas e também animais.
 Os Historiadores pensam que o facto de pintarem os animais que caçavam se deve ao desenvolverem rituais mágicos para obterem sucessos nas caçadas, situação da qual dependia a sua sobrevivência.

HOMINIZAÇÃO

HOMINIZAÇÃO
HOMINIZAÇÃO

O ser humano é o resultado de uma longa evolução, física, intelectual e social. 
Há cerca de 6 a 4 milhões de anos, um grupo de primatas desenvolveu uma série de transformações físicas que deram origem à espécie Humana.
Os HOMÍNIDEOS (os mais antigos antepassados dos seres humanos) surgiram na África Oriental e do Sul.
TRANSFORMAÇÕES:
-VERTICALIDADE e da BIPEDIA (liberta as mãos que as utiliza para fabricar instrumentos)
-DESENVOLVIMENTO DA MASSA CEREBRAL e da CAIXA CRANIANA (aquisição da inteligência)
-LINGUAGEM ARTICULADA

AUSTRALOPITECUS: Conquista a BIPEDIA e usa o SEIXO QUEBRADO.
HOMO HABILIS: Fabrica e utiliza instrumentos e usa o BÍFACE. 

Constroi os primeiros abrigos para habitar.
HOMO ERECTUS: Domina o FOGO, desenvolve a LINGUAGEM e instala-se em grutas ou em acampamentos ao ar livre.
HOMO SAPIENS: Grande desenvolvimento da inteligência, fabrica instrumentos especializados e primeiros ENTERROS
HOMO SAPIENS SAPIENS: Fabrica instrumentos em lâmina e osso, primeiras manifestações artísticas.

FABRICO DE INSTRUMENTOS

FABRICO DE INSTRUMENTOS
Instumentos de Pedra, Madeira , Osso e Chifre.

O FOGO

O FOGO
O HOMO ERECTUS dominou o fogo há 500.000 ano
FORMAS DE PRODUZIR O FOGO
Fricção de dois paus
Choque de duas pedras
1º- Fricção de dois paus
2º Choque de duas pedras
Vantagens:
1-Aquecer e iluminar os abrigos
2-Cozinhar os alimentos
3-Afastar os animais ferozes
4-Aperfeiçoar o fabrico de instrumentos
5-Desenvolve os laços sociais e a linguagem

PALEOLÍTICO: ARTE RUPESTRE

ARTE NO PALEOLÍTICO
Existem dois tipos de arte:

1-Arte móvel (pequenas estatuetas: Vénus : Simboliza a fecundidade e fertilidade etc)
2-Arte rupestre ou parietal (pinturas e gravuras feitas em rochas quer em grutas quer ao ar livre)(arte mágica: para obter caça)
Principais temas:
Animais de caça; bisontes, cavalos, touros; mãos humanas; e algumas figuras e sinais abstractos.


video
GRUTAS DE LASCAUX

RITOS MÁGICOS

RITOS MÁGICOS
Arqueólogos italianos descobriram túmulos
de mais de 3.000 anos no vale do Swat,
no noroeste do Paquistão,
sugerindo que existiam ritos funerários complexos .

O ser humano tem necessidade de explicar a realidade que o cerca e os mistérios da vida (como o nascimento a morte; o dia a noite etc)
Tentam dominar e perceber o mundo através de ritos mágicos: dançam; mascaram-se; pintam; sacrificam animais para tentarem agradar aos Deuses.
Crença na vida para além da morte levou-os a enterrar os seus mortos com adornos, comida, flores, pintar os corpos e etc.

VIDEOS

A EVOLUÇÃO DA TERRA EM UM MINUTO


Ice Age: Dawn of the Dinosaurs Movie Trailer



NEOLÍTICO

NEOLÍTICO:
AGRICULTURA E PASTORÍCIA
AGRICULTURA E PASTORÍCIA
Há cerca de 10.000 anos verificaram-se grandes alterações climáticas. No Neolítico os seres humanos aprenderam a produzir os seus alimentos (inventaram a agricultura e domesticaram os animais) construíram aldeias e desenvolveram novas técnicas.
 AGRICULTURA: TRIGO; CEVADA; ARROZ; MILHO MIÚDO; SORGO; FEIJÃO
 Primeiro animal domesticado o CÃO
PECUÁRIA: CARNEIRO; CABRA; BOI; PORCO; LAMA; BURRO;CAMELO;OVELHA
A Agricultura surgiu numa região no Próximo Oriente que ficou conhecida por CRESCENTE FÉRTIL.
O Crescente Fértil A agricultura teve o seu berço região do Crescente Fértil, região hoje ocupada, entre outros, pelo Iraque, Irão e Egipto e onde surgiram as primeiras civilizações (os Sumérios, os Assírios e os Egípcios).
Agricultura
A origem destas civilizações está intimamente ligada e em estreita dependência com o aparecimento da agricultura.Os povos semi-nómadas que se fixaram nas margens férteis dos rios Tigre, Eufrates e Nilo, contribuíram para converter esta região na mais rica e próspera da antiguidade e estiveram na génese daquelas primeiras civilizações.
Até então, o homem era caçador-recolector mas já existiam aldeias sedentárias baseadas ainda na caça e na recolha de frutos silvestres, raízes e cereais bravios, os quais predispuseram esses caçadores para a produção alimentar e a criação de gado.Há cerca de 10000 anos ocorreu a transição da caça-recolecção para a recolha dos cereais bravios e há 8000 anos atrás os primeiros povos sedentários estavam já dependentes da cultura dos primeiros cereais e dos primeiros animais domesticados.
Desenvolveu-se, também, uma “tecnologia rudimentar” para a recolha, o processamento e o armazenamento dos alimentos, como por exemplo: foices com lâminas de sílex fixas em cabos de madeira ou osso para colher cereais, cestos para transporte de cereais, almofarizes, pedras de moagem para a debulha e poços de armazenagem subterrâneos.
Atividades artesanais
O aumento da densidade populacional obrigou ao incremento da produção alimentar e vice-versa.
As primeiras culturas domesticadas (trigo, cevada, ervilhas e lentilhas) desenvolveram-se a partir de plantas bravias que revelavam características que motivaram a sua preferência por parte do homem.
Os animais forneciam carne e também, lã, couro e auxílio nas tarefas agrícolas.
Estes factores favoreceram o estilo de vida sedentário face à caça-recolecção, pois a referida selecção de alimentos rapidamente se tornou mais abundante e nutritiva do que a forma de alimentação posto à disposição pelo modo de vida anterior.
 Passaram a praticar uma ECONOMIA DE PRODUÇÃO
 Deixaram de ser NÓMADAS e passaram a ser SEDENTÁRIOS.

INOVAÇÕES TÉCNICAS E NOVAS ACTIVIDADES

INOVAÇÕES TÉCNICAS: NOVAS ACTIVIDADES
INOVAÇÕES TÉCNICAS


CERÂMICA: Recepientes de barro para armazenar cereais e líquidos: Roda do Oleiro
CESTARIA: Cestos feitos de palha, couro,vime, etc, para armazenar e transportar produtos
RODA:
TECELAGEM: Técnica que permite produzir vestuário: Lã, linho e algodão.
MOAGEM: Técnica para produzir farinha para o pão.


RODA: Facilitou o transporte e foi um dos grandes inventos humanos.

ALDEAMENTOS E DIFERENCIAÇÃO SOCIAL


ALDEAMENTOS 
As comunidades passaram a viver junto aos campos que cultivavam, esperavam as colheitas e criavam gado. 
Os seres humanos passaram a ser sedentários. (ver sedentarização)
As casas eram construídas com os materiais que existiam na região. Podiam ser de pedra, madeira, tijolo ou em argila e eram cobertas de colmo.
 Alguns aldeamentos eram rodeados de muralhas para garantirem a segurança das pessoas e dos rebanhos.

DIFERENCIAÇÃO SOCIAL
A garantia de alimento permitiu que algumas pessoas se dedicassem a outras actividades. Iniciou-se a divisão de trabalho. 
Nesta época as pessoas começaram a desenvolver o conceito de propriedade e de acumulação de bens, de riquezas.
Era o que acontecia em alguns grupos com maior prestígio, como os guerreiros, os sacerdotes.


MEGALITISMO

MEGALITISMOPeríodo de tempo no fim do neolítico que se desenvolveu principalmente na Europa que se 
Construções formadas por grandes blocos de pedra.


-MENIRES: Grandes pedras isoladas colocadas ao alto; função funerária e culto ao deuses solares

-ALINHAMENTOS: Grupos de menires colocados em linha ou em filas paralelas; função de culto da Natureza.

-CROMELEQUES: Conjunto de menires colocados em círculo.





-ANTAS ou DÓLMENES: Construções com três ou mais pedras colocadas ao alto e cobertas por grandes lages; função funerária

Anta


CULTOS AGRÁRIOS
Estátua da deusa-mãe 
encontrada em Çatal Hüyük,
 com idade estimada de 7 mil anos.
Deusa-Mãe: Deusa do Neolítico simboliza a Terra, a Fertilidade da mesma a Fecundidade.
Prestam culto às forças da Natureza: Sol, água etc.
Estatuetas, amuletos.

IDADE DOS METAIS: REVOLUÇÃO METALÚRGICA

Revolução metalúrgica

Cobre em Estado Bruto
Há cerca de 9.000 anos produziram-se na Turquia os primeiros objectos de cobre. Depois o ouro, a prata e o bronze (liga de cobre e estanho) e depois o ferro. A técnica de fusão surgiu há cerca de 8.500 anos no Médio Oriente e depois espalhou-se pela Europa.


Construíram fornos onde os minérios eram aquecidos a altas temperaturas que entrava em fusão e era vertido em moldes. Quando arrefecia ficava com a forma do molde.


As armas e utensílios de metal garantiram a superioridade das comunidades que os usavam.
Molde
Possuir metal passou a ser sinónimo de riqueza e poder.






FIM DA PRÉ-HISTÓRIA e INÍCIO DA IDADE ANTIGA-HISTÓRIA

LITERATURA

LITERATURA




VIDEO

10.000 A.C.

FICHA DE AVALIAÇÃO

PALEOLÍTICO
Observa a figura e lê o texto



Texto
" Os primeiros seres humanos tinham de caçar, pescar e recolher da Natureza tudo o que necessitavam para sobreviverem. Na sua luta para controlarem as forças da Natureza aprenderam a dominar o fogo e construíram abrigos."
1. Define Hominização.
2. Indica a região do planeta onde surgiram os primeiros homínideos.
3. Refere as características que tornaram o ser humano diferente dos outros primatas.
4. Completa os espaços em branco indicando as conquistas de cada um dos homínideos.
HOMO HABILIS
_________________________________________________
HOMO ERECTUS
_________________________________________________
HOMO SAPIENS
_________________________________________________
HOMO SAPIENS SAPIENS
_________________________________________________
5. Completa os espaços indicando as vantagens que o domínio do fogo trouxe para a vida dos seres humanos.
1_____________________ 2___________________3___________________
4_____________________5___________________6___________________
6. Identifica as principais actividades dos seres humanos no Paleolítico.
7. Identifica os tipos de arte no Paleolítico.
1_____________________________ 2_______________________________
8. Refere os principais temas da arte Paleolítica.
NEOLÍTICO
Observa a figura e lê o texto

Texto
"Há cerca de 12 mil anos verificaram-se alterações climáticas que favoreceram a prática da agricultura e a domesticação de animais. Estas actividades trouxeram muitas transformações no modo de vida dos seres humanos."
1.Indica a região onde se praticou a agricultura pela primeira vez.
____________________________________________________________________________

2. Define "Crescente Fértil"
_____________________________________________________________________________

3.Comenta a afirmação:" A prática da agricultura e da pastorícia representou um passo decisivo para a transformação do modo de vida dos seres humanos."
_________________________________________________________________________________

4. Assinala com V as afirmações verdadeiras e com F as falsas.
1.___ A domesticação de animais surgiu na região do Crescente Fértil.
2.___ O cavalo foi o primeiro animal a ser domesticado pelos humanos.
3.___ Para domesticar os humanos os animais prenderam-nos em cercas.
4.___ Quando os humanos aprenderam a domesticar os animais deixaram de praticar a caça.

5. Completa o texto.
"Durante o período do Neolítico os humanos começaram a praticar uma economia ___________, baseada na ______________ e na ________________. A partir do momento em que os seres humanos produziram os seus alimentos puderam permanecer mais tempo no mesmo local, assim, deixaram de ser _________________ e passaram a ser____________________. "

6. Indica os instrumentos que surgiram para apoiar a prática da agricultura.
_____________________________________________________________________________

7. Identifica as actividades que surgiram no Neolítico.
A_____________
B_____________
C_____________
D_____________

8. Avalia a importância da invenção da roda na vida dos seres humanos.
" A invenção da roda é um dos principais acontecimentos da história da Humanidade, uma vez que a sua aplicação aos meios de transporte revolucionou o modo de viajar.(...)
Parece que a introdução da roda se ficou a dever aos Sumérios, povo que vivia no actual Iraque, por volta de 3.500 a.C."
Giovanni di Pascuale, História da Ciência e da Tecnologia, vol.20, Hiperlivro

9. Descreve as habitações do período neolítico.

10.Indica as constuções megalíticas.
1___________________________________
2___________________________________
3___________________________________
4___________________________________


11. Explica a utilização que era dada às construções megalíticas.
1___________________________________
2___________________________________
3___________________________________
4___________________________________
12. Comenta a afirmação: " No Neolítico a deusa-mãe continuou a ser divindade mais adorada."

CONTEXTUALIZAÇÃO

Há cerca de 5 000 anos surgiram as primeiras civilizações da História, numa região chamada Crescente Fértil, devido à fertilidade das suas terras.
As primeiras civilizações ficaram conhecidas por Civilizações dos Grandes Rios, porque se desenvolveram próximo de importantes rios: a SUMÉRIA junto aos rios Tigre e Eufrates; o EGIPTO junto ao rio Nilo; a Civilização do VALE DO INDO próximo do rio Indo e a Civilização do RIO AMARELO junto ao rio Amarelo.Destas escolhemos a Civilização Egípcia.Por volta de 2 000 a.C. desenvolveram-se outras civilizações na região do Mediterrâneo Oriental. Foi o caso das civilizações HEBRAICA e FENÍCIA, as quais deixaram importantes heranças para a cultura ocidental.
Por Civilização podemos entender um conjunto de formas de vida, de costumes, de crenças, de instituições e de realizações técnicas e culturais que são comuns a uma determinada sociedade humana e a caracterizam. Assim, falamos da civilização chinesa, da civilização egípcia, da civilização suméria....

REVOLUÇÃO URBANA

As primeiras cidades, a estratificação social
e o aparecimento do Estado
REVOLUÇÃO URBANA
As aldeias neolíticas cresceram, transformaram-se em aglomerações urbanas. 

As cidades passaram a ser os centros da economia, ali se realizava o mercado, ali se localizavam os templos e o palácio do chefe.
Divisão do trabalho, a riqueza de cada um e a função que exercia levaram à formação de uma 
SOCIEDADE ESTRATIFICADA.

UMA SOCIEDADE HIERÁRQUICA E ESTRATIFICADA

SOCIEDADE
1.Rei
2.Sacerdotes
3.Guerreiros
4.Altos funcionários
5.Comerciantes
6.Artesãos
7.Camponeses
8.Escravos
O Chefe tinha um poder sacralizado " era rei e deus ao mesmo tempo".
A administração das cidades era complexa-controlar as trocas comerciais-administrar o palácio e o templo- isso levou ao desenvolvimento de formas de cálculo e à invenção da escrita e surgiu um novo grupo social os Escribas (os que sabem escrever).
A invenção da escrita foi de tal forma importante que marca a passagem da Pré-História para a História.

CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA

CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA 
CIVILIZAÇÃO EGÍPCIA
3200 AC - 1100 AC

Situado no nordeste da África, numa região conhecida como Delta do Nilo, o Egipto foi uma das maiores civilizações de toda a Idade Antiga. 

Sem dúvida, a existência do rio Nilo foi de suma importância para o desenvolvimento da civilização egípcia, visto que esses povos habitavam uma área desértica e de clima seco. 
Foi por causa da existência do rio que os egípcios puderam tornar a terra propícia para o desenvolvimento da agricultura. Por isso, o historiador grego Heródoto disse uma celebre frase: “O Egipto é um presente do Nilo”.
O Egipto foi palco do surgimento de uma das civilizações que merecem destaque na história da antiguidade.

 Os avanços tecnológicos alcançados por esta civilização podem ser conferidos em suas mais arrebatadoras obras arquitetónicas realizadas, as pirâmides, gigantescas tumbas destinadas aos faraós, cuja construção deve ter iniciado por volta do ano de 2.700 a. C. Após suas mortes, os corpos dos faraós eram embalsamados e sepultados no interior das pirâmides. 
Os egípcios possuíam a crença da vida após a morte, o que explica o grande cuidado na conservação dos corpos dos seus governantes. 
Por outro lado, as técnicas de irrigação eram avançadas para sua época: já era empregada a técnica de irrigação através da canalização das águas do rio.
 Também eram aproveitadas as cheias periódicas do rio Nilo: com o alagamento e esvaziamento periódicos, as terras referentes às margens do rio tornavam-se bastante férteis e produtivas.
A estrutura da sociedade egípcia era altamente rígida. 

No topo estava o faraó, seguido de sacerdotes, nobres e funcionários reais. 
Nas camadas baixas estavam os artesãos, camponeses e por último, os escravos.
Durante milhares de anos, vários grupos de pessoas de diversas origens foram se fixando nas proximidades do Nilo, cultivando plantas e domesticando animais. 

À medida que esses grupos foram crescendo, se aliaram entre si, fundando unidades administrativas independente (nomos). 
Os nomos começaram a disputar entre si o controle das terras, até que, após vários conflitos, foram formados dois reinos: o Baixo e o Alto Egipto. 
Aproximadamente no ano de 3200 a.C, o rei do Alto Egito, Menés, conquistou o Baixo Egipto, unificando os dois reinos e se tornando, portanto, o primeiro faraó da história do Egito. 
O faraó representava mais do que um simples rei, ela era visto como a encarnação do próprio deus, ou seja, o faraó era um deus, exercendo a função de chefe administrativo, militar, juiz supremo e sumo sacerdote.
Os egípcios deixaram vários legados para a humanidade. 

A começar pelo calendário de 365 dias e a divisão do dia em 24 horas.

EGIPTO:RELIGIÃO POLITEÍSTA

POLITEÍSMO

Os egípcios eram um povo muito religioso, o mais religioso de entre todos os povos de acordo com as palavras de Heródoto. 
Eram politeístas porque acreditavam em vários deuses.Os deuses mais adorados eram Hórus, Amon-rá,Ósiris e Ísis.
Os egípcios representavam os deuses com formas de animais ou formas humanas. 
Outras vezes combinavam as duas formas.
Os Egípcios, tal como os outros povos da Antiguidade, eram extremamente religiosos. 
Adoravam muitos deuses, isto é, eram politeístas. 
Cada região tinha os seus deuses, mas alguns eram adorados em todo o Egipto, como Osíris e Ísis (deuses ligados à fer­tilidade e fecundidade da terra e ao culto dos mortos), o deus-falcão Hórus (protector dos faraós, particularmente adorado durante o Império Antigo) e Ámon-Rá (o deus-Sol).
Relacionado com o culto dos deuses, estava o culto dos mortos. 
Como acreditavam na vida de além-túmulo, os egípcios criaram complicadas técnicas de embalsamamento dos cadáveres pois também acreditavam na reencarnação das almas. Por essa razão os corpos precisavam de estar intactos (mumificados) e para a alma reconhecer o corpo que habitara, desenhavam o mais fiel possível na tampa do sarcófago o rosto do morto que lá estava depositado.No século XIV a.c., no reinado de Amenófis IV (c. 1377/1359 a.c.), o politeísmo egípcio foi temporariamente abolido e imposto o culto a um único deus - Áton, que simbolizava o Sol. 
Contudo, logo após a morte do faraó, regressou-se ao culto dos deuses tradicionais, ou seja, ao politeísmo.

A LENDA DE ISIS E OSIRIS

A LENDA DE ISIS E OSIRIS

A LENDA DE ISIS E OSIRIS

Conta a lenda que Seth com inveja de Osiris, por este ter herdado o reino do pai na terra, engendrou um plano para matá-lo e assim usurpar o poder. 
Quando Osiris dormia, Seth tirou suas medidas e ajudado por 72 conspiradores, mandou construir um esquife com as medidas exatas de Osiris. 
Organizou um banquete e lançou um desafio, aquele que coubesse no esquife o ganharia de presente. Todos os deuses entraram e não se ajustaram
.Assim que Osiris entrou no esquife, Seth o trancou e mandou jogá-lo no rio, a correnteza o levou até a Fenícia. 
Ali ficou preso em uma planta até fazer parte do caule, que foi usado para construir uma coluna o "Djed".Isis partiu em busca do esposo, e após muitas aventuras, conseguiu regressar ao Egito com a caixa, que escondeu em uma plantação de papiro. 
Seth a descobriu e cortou o corpo de Osiris em quatorze pedaços, que espalhou pelo Egito. Novamente Isis parte em busca dos despojos do esposo e dessa vez ajudada pela irmã Néftis, transformadas em milhafres (espécie de ave de rapina, semelhante ao abutre), encontram todas as partes de Osiris, exceto o órgão genital, que havia sido devorada por um peixe o Oxirincos.Isis foi ajudada por Anubis que embalsamou Osiris, e este tornou-se a primeira múmia do Egipto.
Utilizando seus poderes mágicos, Isis, conseguiu que Osiris a fecundasse e dessa união nasceu Horus.Seth iniciou uma luta pelo poder que envolveu todos os deuses. 
Por fim o próprio Osiris a partir do outro mundo, ameaçou mandar levantar todos os mortos se não fosse feita a justiça.
Rá e um tribunal de deuses estabeleceram que a sucessão fosse hereditária, e assim, Hórus pôde reinar.
Dessa maneira o Faraó em vida convertia-se em Hórus e ao morrer identificava-se com Osiris, o soberano do Além, considerando-se igual ao deus.

DEUSES EGÍPCIOS: OSÍRIS

OSÍRIS
Osíris Senhor da Ressureição da Alma.

Osíris
Um dos deuses mais antigo do Panteão Egípcio, pois era adorado já nas primeiras dinastias. 
Plutarco relata que nos primórdios do Egipto OSÍRIS governava com extrema benevolência. 
Sua chegada propiciou o ensino da agricultura, organização social, do estabelecimento das leis, e também da instituição dos princípios espirituais e religiosos.
O maldoso deus SETI e outros conspiradores trancaram Osíris num cofre extremamente selado e jogando-o no mar, perdendo-se nas profundezas.
Diz também a lenda que os pedaços de seu corpo foram dispersos por vários lugares.

OSÍRIS representa a paternidade, foi o rei dos deuses. Deus do Mundo dos Mortos.Gorvernou ao lado de sua esposa e irmã Ísis que já se amam dentro do ventre da mãe.
Primeiro casal soberano sobre a Terra. Osíris era o rei e Ísis era o trono.
Era muito comum tanto na Mitologia como entre os Faraós o casamento entre irmãos porque isto se tratava de legitimar o direito ao trono, através do casamento com uma Princesa. 

Toda a Faraó era vista como representante directa da deusa Ísis.
Osíris era também deus dos grãos no Egito. 

Espírito da Fertilidade que promove a germinação e crescimento das plantas e a reprodução dos animais.
 Ele era a força vital contida na imundação anual do Nilo. Criou a agricultura.
OsirisOsíris era um dos filhos de Nut e Geb, ao lado de sua irmã Ísis (com quem se casou) e seu irmão ciumento Seth, que mais tarde o matou.
Osíris aparece como uma múmia de barba, carregando um gancho como poder supremo.
Ele usava a coroa branca do Alto Egito, com penas vermelhas. 

Sua pele é verde para representar a vegetação – como rei, ele ensinou os egípcios a ser fazendeiro.
Apesar dele ser o deus do submundo, ele não é um demónio ou um deus obscuro.
Ao contrário, ele representa a esperança dos egípcios em viver em glória para sempre na vida depois da morte.

DEUSES EGÍPCIOS: ISÍS

 ISÍS
DEUSES EGÍPCIOS: ÍSIS
 A esposa de Osíris. 

ÍSIS, é a mais popular de todas as deusas egípcias, considerada a deusa da família, o modelo de esposa e mãe, invencível e protetora.
 Usa os poderes da magia para ajudar os necessitados.
 Ela criou o rio Nilo com as suas lágrimas. 
Conta a lenda que, após a morte de Osíris, ela transforma-se em um milhafre para chorá-lo, reúne os pedaços de seus despojos, se empenha em reanima-lo e dele concebe um filho, Horus.
 Ela defende com unhas e dentes seu rebento contra as agressões de seu tio Seth. 
Perfeita esposa e mãe ela é um dos pilares da coesão sócio-religiosa egípcia. 
Usa na cabeça um trono que é o hieróglifo de seu nome.

DEUSES EGÍPCIOS: HÓRUS

HÓRUS 
HÓRUS

O deus falcão era filho de Osíris e
Ísis.
Hórus era originalmente o deus do céu, voando sobre o Egipto como um falcão para proteger seu pai, o rei Osíris.
Quando Hórus derrotou o assassino de seu pai, Seth, ele se transformou no rei de todo o Egipto, e ele é descrito usando uma coroa com uma parte superior branca para representar o Alto Egipto e uma parte vermelha inferior para representar o Baixo Egipto.

 Por esta razão, os governantes do Egipto sempre se identificaram com Hórus na vida, se transformando na personificação de Osíris quando eles morriam.Hórus era adorado em centros de cultos em Behdet, Hirakonpolis e Edfu e o olho de Horus era considerado um amuleto poderoso.HÓRUS teve uma infância difícil, sua mãe teve de escondê-lo de seu tio Seth que cobiçava o trono de seu pai Osiris. 
Após ter triunfado sobre Seth e as forças da desordem, ele toma posse do trono dos vivos; o faraó é sua manifestação na terra.
 Ele é representado como um homem com cabeça de falcão ou como um falcão, sempre usando as duas coroas do Alto e Baixo Egito. 
Na qualidade de deus do céu, Hórus é o falcão cujos olhos são o sol e a lua. Com o nome de "Horus do horizonte", assume uma das formas do sol, a que clareia a terra durante o dia. Mantenedor do universo e de todo tipo de vida, Horus era adorado em todo lugar. 
Ele é considerado o mais importante de todos os deuses, aquele que guia as almas até o Dwat ( Reino dos Mortos ).

DEUSES EGÍPCIOS: THOT

THOT
THOT

Era representado por uma Íbis, que se tornou o símbolo da sabedoria para os egípcios. 
Diz a tradição que foi por seu intermédio que aquele povo conheceu as artes, a arquitetura, a escrita hieroglífica, a medicina, a astronomia, a matemática e ainda outras ciências mais avançadas relativas ao espírito e à alma.
THOT, divindade à qual era atribuída a revelação ao homem de quase todas as disciplinas intelectuais, a escrita, a aritmética, as ciências em geral e a magia. 
Era o deus-escriba e o deus letrado por excelência. 
Havia sido o inventor da escrita hieroglífica e era o escriba dos deuses; senhor da sabedoria e da magia. 
O que faz dele o patrono dos escribas que lhe endereçam uma prece antes de escrever. "Mestre das palavras divinas". 
Preside a medida do tempo, o disco na cabeça é a lua, cujas fases ritmam os dias e as noites.
 Representado como um íbis ou um homem com cabeça de íbis, ou ainda um babuíno.

DEUSES EGÍPCIOS: ANÚBIS

ANÚBIS
ANÚBIS

Anubis era um deus antigo, guiando os mortos a caminho do submundo muito antes de Osíris ter se transformado num deus importante. Entretanto, ao ajudar Ísis a mumificar Osíris depois de sua morte, ele também se tornou o santo benfeitor dos embalsamadores.
Anubis era associado com Maat, a deusa da justiça.
Os egípcios acreditavam que quando se morre, se viaja pelo Corredor dos Mortos.
Lá, Anúbis pesaria o seu coração contra a pluma de Maat, estabilizando a balança primeiro para garantir exatidão. Se o seu coração pesasse mais do que a pluma, ele seria comido pelo monstro.


ANÚBIS, filho de Seth e Néftis, é o mestre dos cemitérios e o patrono dos embalsamares. É na realidade o primeiro entre eles, a quem se deve o protótipo das múmias, a de Osíris. Todo egípcio esperava beneficiar-se em sua morte do mesmo tratamento e do mesmo renascimento desta primeira múmia. Anúbis também introduz os mortos no além e protege seus túmulos com a forma de um cão, vigilante, deitado em uma capela ou caixão. Anúbis era também associado ao chacal, animal que freqüentava as necrópoles e que tem por hábito desenterrar ossos, paradoxalmente representava para os egípcios a divindade considerada a guarda fiel dos túmulos. No reino dos mortos, era associado ao palácio de Osiris, na forma de um homem com cabeça de cão ou chacal, era o juiz que, após uma série de provas por que passava o defunto, dizia se este era justo e merecia ser bem recebido no além túmulo ou se, ao contrário, seria devorado por um terrível monstro, Amut. Anúbis tinha seu centro de culto em Cinópolis.

DEUSES EGÍPCIOS: MAAT

MAAT
MAAT
Deusa egípcia da Justiça e do Equilíbrio. 
É representada por uma mulher jovem portando em sua cabeça uma pluma.
A atividade crucial de Maat ocorria no Palácio das Duas Verdades (Maati), onde os mortos iam para o julgamento final.
 Após o falecido confessar seus pecados, seu coração era colocado em um prato de balança, enquanto no outro estava uma pena de avestruz simbolizando Maat (a verdade). Por vezes era, ela mesma, a balança. MAÁT, esta deusa, que traz na cabeça uma pluma de avestruz, representa a justiça e a verdade, o equilíbrio, a harmonia do Universo tal como foi criado inicialmente. 
É também a deusa do senso de realidade. Filha de Rá e de um passarinho que apaixonando-se pela luminosidade e calor do Sol, subiu em sua direção até morrer queimado. No momento da incineração uma pena voou. Era Maat. 
É a pena usada por Anúbis para pesar o coraçáo daqueles que ingressam no Dwat. Em sociedade, este respeito pelo equilíbrio implica na prática da equidade, verdade, justiça; no respeito às leis e aos indivíduos; e na consciência do fato que o tratamento que se inflige aos outros pode nos ser infligido. 
É Maát, muito simbolicamente, que se oferece aos deuses nos templos. 
Protetora dos templos e tribunais.

DEUSES EGÍPCIOS: BASTET

BASTET
BASTET
A deusa gata. Protetora dos gatos, das mulheres, da maternidade, da cura. 
Era guardiã das casas e feroz defensora dos seus filhos, representando o amor maternal.
Tem grande ligação com a Lua.
Representada com uma ninhada de gatinhos a seus pés, simbolizando a Fertilidade.
O Templo de Bastet, era em Bubastis (cidade do Delta do Nilo), cujo nome em egípcio "Per-Bast" (significa "a casa de Bastet"), mantinha gatos sagrados que eram embalsamados em grandes cerimônias quando morriam, porque eram considerados como encarnação da deusa.
O gato doméstico foi trazido para o Egipto por volta do ano 2.100 a.c., é considerado um ser divino, ao ponto que quando um deles morriam de morte natural, as pessoas da casa raspavam as sobrancelhas em sinal de luto.O símbolo do GATO PRETO era utilizado pelos médicos egípcios para anunciar a sua capacidade de cura.
Os gatos eram tão sagrados no antigo Egipto, que quem matasse um gato era condenado à pena de morte.
BASTET, uma gata ou uma mulher com cabeça de gata simbolizava a deusa Bastet e representava os poderes benéficos do Sol. 
Seu centro de culto era Bubástis, cujo nome em egípcio ( Per Bast ) significa a casa de Bastet. Em seu templo naquela cidade a deusa-gata era adorada desde o Antigo Império e suas efígies eram bastante numerosas, existindo, hoje, muitos exemplares delas pelo mundo. 
Quando os reis líbios da XXII dinastia fizeram de Bubástis sua capital, por volta de 944 a.C., o culto da deusa tornou-se particularmente desenvolvido.

DEUSES EGÍPCIOS: HATOR

HATOR


A deusa Hator
A deusa Hator, por exemplo, é adorada na forma de uma mulher com chifres de vaca e um disco solar na cabeça, como uma mulher com cabeça de vaca ou simplesmente uma vaca, cujo ventre salpicado de estrelas formava o céu. A serpente e o corvo entram na composição dos emblemas que acompanham a sua imagem. Hator é uma das deusas mais veneradas, conhecida como “dama da embriaguez”. Na mitologia Egípcia é a deusa do céu, filha do deus Sol, Ra, deusa da fertilidade, protetora das mulheres, da astrologia, do casamento, dos vivos e dos mortos, também era deusa do Amor e da Beleza. É freqüentemente descrita como a mãe de todos os Faraós do Egipto. A deusa Hator representava o amor e sexualidade e é associada com os aspectos eróticos do vinho e da dança. 
A deusa Hator
O Faraó era o filho de Hator e portanto, todas as sacerdotisas do Faraó eram automaticamente sacerdotisas de Hator.
A deusa Hator
HATOR, personificação das forças benéficas do céu, depois de Isis, é a mais venerada das deusas. Distribuidora do amor e da alegria, deusa do céu e protetora das mulheres, nutriz do deus Hórus e do faraó, patrona do amor, da alegria, da dança e da música. Também é a protetora da necrópole de Tebas, que sai da falésia para acolher os mortos e velar os túmulos. Seu centro de culto era a cidade de Dendera, mas havia templos dessa divindade por toda parte. É representada na forma de uma mulher com chifres de vaca e disco solar na cabeça, uma mulher com cabeça de vaca ou por uma vaca que usava um disco solar e duas plumas entre os chifres. As vezes é retratada por um rosto de mulher visto de frente e provido de orelhas de vaca, a cabeleira separada em duas abas com as extremidades enroladas.